terça-feira, 24 de março de 2015

Herberto Helder 1930-2015

Ontem dei conta que agora há um novo acordo ortográfico que não deixa espaço e compreensão para as palavras em português de portugal. disseram que o acordo ortográfico vai aproximar o português de portugal do português do brasil. mas depois disseram que isso não era possível porque o novo acordo ortográfico inventava palavras para o português de portugal que não havia nem eram usadas no português do brasil. Ontem dei por mim a pensar sobre o que diria o poeta, quando lhe roubam as palavras.

em homenagem a Herberto Helder
um poema seu, lembrando-nos...


(Dincas, Sudão)



No tempo em que Deus criou as coisas,

criou o sol,

e o sol nasce, e morre, e volta a nascer;

criou a lua,

e a lua nasce, e morre, e volta a nascer;

criou as estrelas,

e as estrelas nascem, e morrem, e voltam a nascer;

criou o homem,

e o homem nasce, e morre, e não volta a nascer.



(in As Magias poemas mudados para português, in Poesia Toda, Herberto Hélder, Assírio e Alvim, 1990)